A cultura afrodescendente é o pano de fundo da exposição ‘Nos Caminhos Afro’ que reúne fotografias do fotógrafo francês radicado na Bahia Pierre Verger. A mostra será aberta nessa quinta-feira (12) e permanece até o dia 16 de fevereiro no Museu do Piauí – Casa Odilon Nunes. O trabalho de Pierre Verger está em circulação por várias capitais pelo programa Petrobras Cultural.

Nos Caminhos Afro reúne 170 fotografias do antropólogo e etnólogo francês Pierre Verger (1902-1996) sobre a temática Afro-brasileira – uma síntese das quase 30 mil imagens capturadas pelo artista sobre cultura afrodescendente. Além das fotos, integram o conteúdo da exposição dois audiovisuais: o vídeo Olhares Nômades, composto por mais de 800 imagens realizadas pelo artista no Nordeste do Brasil e com trilha sonora original; e Mensageiro entre dois mundos, documentário de Lula Buarque de Holanda, com narração de Gilberto Gil, que tem como tema as semelhanças entre Brasil e África na obra de Verger.

Nos Caminhos Afro traz registros das viagens de Pierre Verger, que ajudam também a contar a história do povo africano, de seus descendentes e a sua trajetória através das diásporas. São registros sobre o cotidiano, a cultura e a religiosidade de descendentes de africanos no Brasil e em mais de 20 países. Um convite a uma viagem no tempo com destino às sutilezas e às peculiaridades do universo interpretado por um fotógrafo-viajante, que realizou longas expedições entre 1932 e 1970.

Verger viveu grande parte da sua vida na cidade de Salvador, na Bahia, mas seu espírito livre e curioso o fez viajar durante 14 anos consecutivos. As passagens ao redor do mundo foram marcadas pela fotografia.